quinta-feira, 6 de novembro de 2008

"Acho que era Julho... de 2006"*


"Mesmo se tivessem me dito que ia doer. Mesmo se eu soubesse que ia ser tão difícil. Mesmo se eu soubesse que ia demorar. Mesmo se eu imaginasse que eu ia ter vontade de chorar até secar. Mesmo se fosse alertada de que ia fazer muito frio antes de chegar o calor. Mesmo se fosse necessário começar tudo de novo. Mesmo se ainda houvesse dúvidas sobre o que eu sinto. Ainda assim eu pularia no escuro, por ter a certeza de ser amparada."
07/2006

Eu não me arrependo de nada. Nada mesmo. Mas não começaria tudo novamente da forma errada e arrebatadora que foi. E se, novamente, eu fosse impelida a saltar no escuro, me asseguraria de haver uma rede de amparo logo abaixo. E que não fosse tão alto assim.



*Parafraseando Nenhum de Nós - Julho de 83

Crédito da Imagem: Site www.kellyneta.com.br/fotos/51-abismo.jpg

32 comentários:

  1. Janaina. Particularmente acho que a gente sempre pula, o que varia, vez ou outra, é a altura.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. se a gente pudesse prever o que viria após o salto seria muito bom. e como saber se a forma q começamos é a certa ou errada? eu tento até levar uma lanterna e dar um passo de cada vez, mas....rs
    bjssss

    ResponderExcluir
  3. Certas coisas são como tomar injeção. Sempre nos avisam que não vai doer nada. Mas, dói. Pessoas corajosas como você, não temem o abismo, pois possuem asas. Keep the beat! ;)
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Nina, obrigada pelos parabéns, amiga querida! E qualquer dia desses comemoraremos alguma data pessoalmente!
    :)

    Quanto ao post... Arriscar, se envolver, tentar... Poderíamos sempre seguir em frente se não fossem nossos medos.
    Quer saber, só podemos conhecer arriscando, então, o ideal é irmos em frente, e quanto mais fundo, mais valerá a pena!

    Beijos, sorte, paz, amor...
    Coragem!
    E fé!

    ResponderExcluir
  5. E que jeito???

    Nada de se arrepender!
    Fica mais bonito sentir e viver do que ter dor de cotovelo, aff

    saudade, gatona!

    muitas!

    beijo forte

    ResponderExcluir
  6. Hj vc só tem essa sensatez pq teve coragem suficiente pra pular naquele momento. Tem coisas na vida q a gente precisa fazer, nem que seja para aprender que não deve fazer de novo da mesma forma.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Pois hoje já não sei se não me arrependo de nada que fiz.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  8. quem sabe daqui alguns anos eu tenha coragem de pular de novo. por enquanto eu tô com medo da altura.

    ResponderExcluir
  9. Se ficarmos perdidos nos "se" que norteiam nossa vida, esqueceríamos de viver o arrebatamento e jamais sentiríamos a força que é saltar do abismo sem rede nem pára-quedas!
    Arrepender-se? Por que mesmo?
    Mais uma vez parabenizo por esse blog... é muito bom entrar, tirar o sapato, deitar-me na rede e bebericar a cerva ao prazer da leitura.
    Meu beijo malvado.
    :*

    ResponderExcluir
  10. SUA LINDA..PERDOE MINHA FALTA DE TEMPO...É QUE A FELICIDADE ANDA BEIJANDO MEUS OMBROS...


    PASSANDO PRA TE DEIXAR MUITOS BEIJOS DEMIM!!

    ResponderExcluir
  11. Jana de Deus!!! No meu caso, acho que era julho de 2000... Que medo, quanta dor, que demora pra passar. A vida se refaz, se reorganiza e a dor continua ali, presa em algum lugar entre o passado e o presente... Não me arrependo de nada tb, mas faria muita coisa diferente. Tenho saudade até do que não vivi. E isso dói tb, demais... Lindo seu post. Acho que vou até "roubar emprestado", se me autorizar (prometo, juro por tudo que citarei a fonte e lincarei seu blog com flashes de neon, prometo!!) de tanto eu que existe nas entrelinhas do seu texto. LINDO DEMAIS... Sabe do que mais, adoro gente que tem gente dentro, como vc. Beijo grande querida!!!

    ResponderExcluir
  12. Às vezes somos impelidos a saltar, com ou sem rede, com ou sem apoio, com ou sem medo. Fazer o quê? Saltar, é claro!
    Posso garantir apenas o seguinte: todas as vezes que Vc. saltar esteja certa que eu a acompanharei e ampararei, sempre!

    Muitos beijos,
    Tio Tom.

    ResponderExcluir
  13. eu amparo vc.... serve?

    beijão, querida

    ResponderExcluir
  14. Acho que mais importante que se arrepender é aprender com o que passou.
    Não é??

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  15. ó, seguinte: pular a gente pula 100pre. com rede ou 100.
    o que vale é o frio na barriga na hora do salto. é por causa dele que, ao se espatifar (ou não!), vc. sai vai saber se valeu (a alegria ou a dor).
    não tem meio salto, beibe!
    a certeza de ser amparada é uma metáfora ambivalente!
    fiz abrir uma janelinha azul no meio do cinzão?!
    ufa! valeu!
    bj

    ResponderExcluir
  16. Esse texto encaixaria na minha tentativa de texto de hoje...
    O problema é que saltamos sempre, precisamos pagar para ver... e se quando caímos pensamos que para a próxima será diferente, a verdade é que na hora H cometemos sempre o mesmo erro.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  17. Arrependimento não serve para nada. Não dá para voltar atrás naquilo que já foi feito.

    ResponderExcluir
  18. Nooossa, o que a maturidade não faz! Sabe, eu também já me arrisquei corajosamente a saltar de precipícios no escuro, e também já jurei fazer tudo de novo. Não me arrependo. Mas, se fosse pra pular de novo... só com rede de proteção! Amei esse post!

    Andei sumida pq estava de luto. Ainda estou, mas já voltando. Bjos!

    ResponderExcluir
  19. A gente sempre comete umas audácias na vida e só depois se apercebe...Na hora é tudo muito intenso pra gente titubera e ser prudente rsrs...A vida é isso..Beijo !

    ResponderExcluir
  20. Amo Nenhum de Nós, eles sempre falam por mim...
    O seu texto se encaixa exatamente na situação que passo.
    Força. :T

    ResponderExcluir
  21. Janaina, o coração, muitas vezes, faz mesmo a gente pular no escuro sem nenhuma proteção. Ou, então, pula por distração, sem pensar. Beijos floridos da Ursa

    ResponderExcluir
  22. Sabe, Janaína, muito por acaso eu vendo para-quedas. Tipos, cores e desempenhos sob medida, com abertura e proteção garantidas. Querendo, mando folheto promocional com todos os dados.

    Beijos saltitantes.

    ResponderExcluir
  23. Arrependimento?
    Nunca!
    Pular sempre, a primeira vez no escuro, as outras com um sopro de vela, mas o pulo livre e feliz!

    lindo dia flor
    beijos

    ResponderExcluir
  24. Or, eu quero um beeem colorido. Com muito azul. E alaranjado. E bem grande. Que é pra aguentar quedas altas. Mas que aguente quedas pequenas também. O importante é que me deixe cair, mas que a aterrissagem seja leve...

    ResponderExcluir
  25. Engraçado que pulamos sem rede na mesma época... aliás, eu pulei dois meses depois. E aqui estou, inteira. Não me arrependi, mas aprendi a duras penas as coisas da vida.
    :)
    E cá estamos inteiras de novo, né Nina?
    Beijocas

    ResponderExcluir
  26. Olá, Janaina.
    Não sei exatamente do que você está falando. Mas você parece segura com o fato de não se arrepender do que foi feito. Então tá. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

    ResponderExcluir
  27. Mesmo não querendo, mesmo não imaginando, nós somos levados a saltar... Por momentos, situações ou sentimentos... Me que todos avisem, a gente pula...

    E a gente só sabe se vai cair e quebrar-se lá embaixo, ou simplesmente voar, quando a gente salta, arrisca...

    Mesmo no escuro.

    Adorei seu blog...

    Vou add o seu no meu...

    Grande Abraço

    Berkmis Viana.

    ResponderExcluir
  28. Eu pularia quantas vezes mais fossem me dadas as chances.
    Mesmo sabendo o quanto acaba doendo no final.

    Gostei daqui.
    abraço minha Xará! :D

    ResponderExcluir
  29. flor, fico feliz que vce nao tenha se arrependido!
    Toda ação geram grandes lições!
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  30. Parafraseando: NÃO É AMOR.

    ResponderExcluir

Diga-me!